Cada vez que Chavela Vargas canta, só um erro de fabrico evita que alguém não sinta um vento frio atravessá-lo e/ou não se sinta repentinamente à beira de um choro irreprimível.

in Blitz 1035

Há quem diga que é a Billie Holiday do México; o certo é que ouvi-la tem tanto de bonito como de destruidor. Há dores e lágrimas em cada som e que nos chegam de uma forma dura e crua com força suficiente para desmoronar os mais distraídos.

Fugiu para o México com 14 anos e começou a cantar nas ruas. Nos anos 50 começou uma carreira de cantora e tornou-se na melhor intérprete de sempre das músicas do José Alfredo Jiménez. A fama, ganhou-a durante os anos 60 mas desapareceu na década de 70 devido a problemas de alcoolismo que duraram 15 anos. Pedro Almodóvar procurou-a e descobriu-a num bar nos subúrbios da cidade do México; ajudou-a a reconstruir a vida e a carreira e hoje dá ainda mais força aos filmes do Almodóvar participando nas bandas sonoras.

Un Mundo Raro

Cuando te hablen de amor y de ilusiones
y te ofrezcan un sol y un cielo entero;
si te acuerdas de mí no me menciones
porque vas a sentir amor del bueno.

Y si quieren saber de tu pasado
es preciso decir una mentira,
dí que vienes de allá de un mundo raro,
que no sabes llorar, que no entiendes de amor
y que nunca has amado.

Porque yo a donde voy, hablaré de tu amor
como un sueño dorado
y olvidando el rencor no diré que tu amor
me volvio desgraciado.

Y si quieren saber de mi pasado,
es preciso decir otra mentira,
les diré que llegué de un mundo raro,
que no sé del dolor, que triunfé en el amor
y que nunca he llorado.

Comments are closed.