Depois de quatro anos a viver em Braga, achei que estava mais que na hora de conhecer o famoso parque nacional da Peneda-Gêres. Foi o que fiz no fim de semana passado. De mochila às costas na companhia de um colega de que estudou comigo na UU fui para o coração do parque passar o fim de semana.

Os 25 euros da pousada de Juventude de Vilarinho das Furnas não eram muito atraentes e acabamos por optar por ficar na Associação Pedras Brancas a conselho de um amigo. Nunca ouviram falar neste local? Pois, o motorista do autocarro também não, mas acabámos por chegar ao sítio certo.
A cozinha… bem, a cozinha não tinha panelas com menos de 70cm de diâmetro pelo que decidimos fazer a sopa instantânea numa cafeteira, também ela de tamanho industrial. Tudo naquela cozinha era tamanho XXL; tenho pena de não ter tirado uma foto à varinha mágica nem aos fogões :-) De resto o local era perfeito: um sossego incrível, longe de tudo e de todos.

No sábado decidimos fazer o trilho Cidade da Calcedónia que nos tirou o fôlego não pela dificuldade mas porque a vista lá de cima é simplesmente arrasadora: vale bem as 3 horas de subida. No final do trilho o poço azul – uma piscina natural – é perfeita para um mergulho depois das horas de caminhada.
No último dia, fomos ao Campo do Gerês e descemos à barragem de Vilarinho das Furnas que forma uma lagoa lindíssima que só peca por ser artificial.
Recomendo a todos os que gostam de natureza uma visita a este parque: deixem o telemóvel em casa (até porque o mais provável é não apanharem rede), levem calçado confortável e vão descobrir porque é que dizem que o Gerês é o mais bonito parque natural Português.

Comments are closed.