Saco de sangueViver diariamente em contacto directo com pessoas de outras culturas pode ser uma constante descoberta de diferenças, umas mais agradáveis do que outras. Na gastronomia, as diferenças podem ser uma surpresa: tentar explicar a um estrangeiro o que são moelas ou como se faz o arroz de cabidela pode ser desde engraçado a repelente. Para um Português, descobrir o sabor de ovos em conserva (btw, ficam pretos…) ou a ideia de comer arenque cru (e/ou em pickle) também é um desafio senão mesmo uma aventura. Comigo foi!
No entanto, enquanto português e mesmo sendo adepto do arroz de cabidela, tenho dificuldade em aceitar que uma solução plausível para o sangue desperdiçado por um matadouro seja… bens alimentares. Serei o único que torce o nariz perante a ideia de beber leite e café feitos de sangue?!

Vai um chocolatezito de sangue com amendoim…?

Comments are closed.